O que é

O cólon é parte do sistema digestivo do corpo. A parte final do intestino é formada pelo reto e canal anal, terminando no ânus (Figura 1).

O câncer que começa no cólon é chamado de câncer de cólon e o câncer que começa no reto é chamado de câncer retal ou câncer de reto. O termo câncer colorretal refere-se ao câncer que pode começar no cólon ou no reto. A palavra colorretal é apenas uma maneira mais curta de dizer cólon e reto.

O câncer colorretal começa quando células normais do cólon ou reto modificam-se e crescem de maneira descontrolada, formando uma massa chamada de tumor. Um tumor pode ser canceroso ou benigno. Um tumor canceroso é maligno, o que significa que ele pode se espalhar para outras partes do corpo. Um tumor benigno não se espalha pelo corpo. A maioria dos cânceres colorretais são do tipo adenocarcinoma e acometem a porção final do intestino.

--

Figura 1. Anatomia do intestino grosso e distribuição mais frequente dos tumores.

g

O que são pólipos

O câncer de cólon as vezes começa como um pólipo. Pólipo é um supercrescimento de células do revestimento interno do cólon. Os pólipos não são todos iguais. Todos eles surgem do revestimento interno do cólon (mucosa), mas diferem em tamanho, forma e aparência das células que os compõem. Os pólipos são mais facilmente encontrados pelo médico durante uma colonoscopia, uma vez que eles se projetam para o interior do cólon, formando uma elevação, semelhante a uma verruga.A chance de um câncer se formar a partir de um pólipo depende do tipo de pólipo. Existem três tipos de pólipos:

Adenomatosos

Ou adenomas, contêm células que não se parecem com as células do cólon. Eles são o tipo mais comum de pólipo. A maioria não se transforma em câncer, mas a maioria dos cânceres colorretais começaram como adenomas.

hiperplásicos

Contêm células que crescem muito rápido. Eles raramente se transformam em câncer.

inflamatórios

São aqueles que podem surgir após uma crise de doença inflamatória intestinal. A chance de se tornarem malignos é baixa.

Fatores de Risco

Diversas características aumentam o risco para desenvolver câncer colorretal. Cada fator de risco individual adiciona algum risco e o risco é substancialmente elevado quando vários fatores estão presentes. Adultos devem se submeter ao rastreamento de câncer de cólon a partir dos 50 anos ou menos, dependendo dos fatores de risco para o desenvolvimento do câncer colorretal.

Titulo 1

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 2

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 3

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 4

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 5

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 6

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Sinais e sintomas

Muitas pessoas com câncer de cólon não apresentam sintomas quando a doença está em fase inicial. Quando os sintomas aparecem eles podem ser muito variáveis, dependendo do tamanho do tumor e sua localização dentro do intestino.

Se você notar qualquer sintoma de câncer de cólon, tais como sangue nas fezes ou mudança persistente no hábito intestinal, marque uma consulta com seu médico.

Fale com seu médico sobre quando você deve começar o rastreamento para câncer de cólon. Habitualmente, o rastreamento para detecção precoce começa aos 50 anos.

Sinais e sintomas do câncer de cólon incluem:

  • Mudança no hábito intestinal, incluindo diarreia ou constipação ou uma alteração na consistência das fezes;
  • Sangramento retal ou sangue nas fezes;
  • Desconforto abdominal persistente, tal como cólicas, dor ou gazes;
  • Sensação de que o intestino não se esvazia completamente;
  • Fraqueza ou fadiga;
  • Perda de peso sem explicação.

Diagnóstico

Os médicos usam vários exames para diagnosticar o câncer e descobrir se ele se espalhou pelo corpo, constituindo as chamadas metástases. Alguns testes também podem determinar qual tratamento pode ser mais eficaz. Para a maior parte dos tumores, a biópsia (remoção de um pedaço do tumor para análise) é o único modo de estabelecer um diagnóstico definitivo de câncer. Exames radiológicos de imagem podem ser usados para descobrir se o tumor se espalhou ou não.

Seguem abaixo algumas opções de exames para o diagnóstico do câncer de cólon. Nem todos os testes listados serão usados em todas as pessoas. O seu médico determinará quais exames são apropriados para o seu caso.

Titulo 1

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 2

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 3

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 4

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 5

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 6

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 7

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Estadiamento

O estadiamento é uma classificação que descreve onde o câncer está localizado, se ou para onde ele se espalhou e se está afetando outras partes do corpo. Os médicos usam vários exames diagnósticos para descobrir qual o estadiamento do câncer. Desta forma, o estadiamento pode não estar completo até que todos os exames necessários tenham sido feitos. Saber o estadiamento ajuda o médico a decidir qual tipo de tratamento é o melhor para o seu caso e pode ajudar a determinar qual é a chance recorrência do tumor.

O sistema de estadiamento do Comitê Americano Conjunto em Câncer (American Joint Comittee on Cancer - AJCC) é usado para determinar o estadiamento do câncer de cólon. Uma ferramenta que os médicos usam para descrever o estadiamento do tumor é o sistema TNM.

O QUE É TNM?

TNM é uma abreviação para tumor (T), linfonodos metastáticos (N) e metástase (M). Os médicos observam esses três fatores para determinar o estadiamento do câncer:

  • O quão grande é o tumor primário e onde ele está localizado? (Tumor – T);
  • O tumor se espalhou para os linfonodos próximos? (linfoNodos – N);
  • O câncer se espalhou para outros órgãos e partes do corpo distantes do seu local original? (Metástases – M).

Os resultados são combinados para determinar o estágio em que o câncer está. Existem 5 estágios: 0 (zero) e estágios I a IV (de um a quatro).

A tabela a seguir mostra mais detalhes sobre o sistema de estadiamento TNM.

Estágio (AJCC) Estágio (TNM) Critério TNM de câncer colorretal
Estágio 0 Tis M0 N0 Tis = Tumor confinado na mucosa, ou seja, carcinomoma in situ
Estágio I T1 M0 N0 T1 = Tumor invade a submucosa
Estágio I T2 M0 N0 T2 = Tumor invade a muscularis propria
Estágio II-A T3 M0 N0 T3 = Tumor invade a subserosa, ou além (sem envolver outros órgãos)
Estágio II-B T4 M0 N0 T4 = Tumor invade os órgãos adjacentes, ou perfura o peritôneo
Estágio III-A T1-2 N1 M0 N1 = Metástase para um a três nódulos linfáticos, T1 ou T2
Estágio III-B T3-4 N1 M0 N1 = Metástase para um a três nódulos linfáticos, T3 ou T4
Estágio III-C qualquer T, N2 M0 N2 = Mestástases para quatro ou mais nódulos regionais, qualquer T
Estágio IV qualquer T, qualquer N M1 M1 = Mestástases distantes presentes. Qualquer T, qualquer N presentes
FONTE: AJCC: American joint Comittee on Cancer

Prevenção e Detecção

Câncer colorretal pode ser facilmente prevenido através do rastreamento regular, que pode encontrar pólipos pré-cancerosos.

Rastreamento de câncer de cólon e reto é uma maneira através da qual os médicos checam o cólon e reto procurando sinais de câncer ou outras anormalidades. O rastreamento é feito em pessoas sem sintomas e sem razões para achar que têm câncer. O objetivo é encontrar e remover pólipos antes que eles se tornem câncer ou achar tumores em fase inicial, antes que eles cresçam e se tornem um problema.

Adultos devem se submeter ao rastreamento de câncer de cólon a partir dos 50 anos ou menos, dependendo dos fatores de risco para o desenvolvimento do câncer colorretal.

Testes usados para o rastreamento do câncer de cólon:

Este é um teste usado para encontrar sangue nas fezes, cuja presença pode ser um sinal da presença de pólipos ou câncer. Pólipos e cânceres não sangram continuamente, de modo que a pesquisa de sangue oculto deve ser realizada em várias amostras e repetida anualmente.

O exame de sangue oculto é feito através da mistura das fezes colhidas com reagentes químicos específicos. O método de guaiaca é o classicamente usado e consiste em envolver um pouco de fezes com um papel embebido com uma solução reagente. Se houver hemoglobina (proteína presente nos glóbulos vermelhos) nas fezes, o reagente muda de cor, ficando azulado. Esta forma de pesquisar sangue oculto consegue detectar sangramentos mínimos, como perdas de apenas 10ml de sangue ao longo do dia.

Atualmente, porém, há exames mais modernos para a detecção de sangue nas fezes, como os testes imunológicos, que consistem no uso de anticorpos contra hemoglobina humana. Esses testes são mais sensíveis e conseguem detectar sangramentos mínimos, menores que 1ml. Outra vantagem é o fato deste exame só detectar fração globina da hemoglobina humana, não havendo risco de falso positivo com alimentos à base de carne ou com sangramentos do trato digestivo alto (sangue vindo da boca, esôfago, estômago ou duodeno são digeridos e não são detectado com esta técnica).

Exames à base de DNA também podem ser usados, mas seu uso ainda é muito recente e não está amplamente disponível.

Titulo 2

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 3

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Titulo 4

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Necessitatibus dolorum, odio quis magni adipisci dolorem ea beatae quaerat asperiores sapiente reiciendis in recusandae facere ratione. Aliquam quidem perspiciatis unde facilis.

Orientações para pessoas com alto risco

Câncer colorretal é uma doença comum e letal. A remoção de adenomas pré malignos pode prevenir o câncer e a remoção de câncer localizado pode prevenir o óbito pela doença.

Antes de decidir como fazer e quando começar o rastreamento para detecção precoce do câncer colorretal, deve-se determinar o nível de risco do paciente.

Algumas poucas questões podem ajudar a determinar se o paciente possui risco aumentado para câncer colorretal:

  • Você já teve câncer do cólon ou reto?
  • Você já teve algum pólipo adenomatoso (pré canceroso)?
  • Você tem ou teve doença inflamatória intestinal (doença de Crohn ou retocolite ulcerativa)?
  • Você já foi submetido a radiação no abdômen durante a infância?
  • Algum membro da sua família já teve câncer colorretal ou pólipo adenomatoso? Sendo esse o caso, quantos membros? Ele eram parentes de primeiro grau (pais, irmãos ou filhos)? Em que idade foi feito o diagnóstico?

Risco usual da população geral

Idade 50 ≥ anos

  • Sem histórico de adenoma ou pólipo adenomatoso séssil ou câncer colorretal;
  • Sem histórico de doença inflamatória intestinal;
  • Sem história familiar de câncer colorretal.

Risco aumentado

Idade 50 ≥ anos

  • Sem histórico de adenoma ou pólipo adenomatoso séssil ou câncer colorretal;
  • Sem histórico de doença inflamatória intestinal;
  • Sem história familiar de câncer colorretal.

Adultos com o risco habitual de desenvolver câncer de cólon devem começar o rastreamento a partir dos 50 anos.

Diversas organizações têm feitodiferentes recomendações sobre o rastreamento para detecção precoce do câncer de cólon. Fale com o seu médico sobre o melhor teste e melhor intervalo de tempo entre os testes para o rastreamento do câncer de cólon de acordo com o seu risco pessoal e histórico familiar.

Referências

  • UpToDate. Screening for colorectal cancer: strategies in patients at average risk. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.uptodate.com/contents/screening-for-colorectal-cancer-strategies-in-patients-at-average-risk?source=search_result&search=colorectal+cancer+screening&selectedTitle=1%7E66
  • Oncoguia. Orientações para pessoas do grupo de alto risco. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/orientacoes-para-pessoas-do-grupo-de-alto-risco/540/179/
  • Cancer.net. Colorectal Cancer: Risk Factors and Prevention. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/risk-factors-and-prevention
  • MD.Saude. Exame de fezes para pesquisa de sangue oculto. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.mdsaude.com/2013/04/sangue-oculto-fezes.html
  • NCCN Clinical Practice Guidelines in Oncology. Colorectal Cancer Screening. Version 1.2014. 05/19/14. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em: www.nccn.org
  • UpToDate. Patient information: colon and rectal cancer screening (Beyond the Basics). Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.uptodate.com/contents/colon-and-rectal-cancer-screening-beyond-the-basics?source=see_link
  • Cancer.Net. Colorectal cancer: Risk Factors and Prevention. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/risk-factors-and-prevention
  • National Cancer Institute. Colorectal Cancer Prevention (PDQ®). Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/prevention/colorectal/Patient/page3#_16
  • MD.Saude. Exame de fezes para pesquisa de sangue oculto. Consultado em 17 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.mdsaude.com/2013/04/sangue-oculto-fezes.html
  • NCCN guidelines for Patients. Colon Cancer; Version 1.2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.nccn.org/patients/guidelines/colon/index.html#10
  • Cancer.Net. Colorectal cancer: overview. Consultado em 22 de janeiro de 2015. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/stages
  • Cancer.Net. Colorectal cancer: overview. Consultado em 22 de janeiro de 2015. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/diagnosis
  • NCCN guidelines for Patients. Colon Cancer; Version 1.2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.nccn.org/patients/guidelines/colon/index.html#10
  • UpToDate. Patient information: colon and rectal cancer screening (Beyond the Basics). Consultado em 22 de janeiro de 2015. Disponível em http://www.uptodate.com/contents/colon-and-rectal-cancer-screening-beyond-the-basics?source=see_link
  • Mayo Clinic.org. Diseases and conditions. Colon câncer. Consultado em 22 de janeiro de 2015. Disponível em http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/colon-cancer/basics/symptoms/con-20031877
  • Oliveira, LAR; Martins FP; Ferrari, AP. Rastreamento e Diagnóstico do Câncer Colorretal: Pólipos e Lesões Precoces.. In: Angelo Paulo Ferrari. (Org.). Atlas de Endoscopia Digestiva. 1Aed.Rio de Janeiro: Rubio, 2008, v. 1, p. 285-302.
  • UpToDate. Patient information: colon and rectal cancer screening (Beyond the Basics). Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.uptodate.com/contents/colon-and-rectal-cancer-screening-beyond-the-basics?source=see_link
  • Grupo de Tumores Gastrointestinais. Materiais para pacientes. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://gtg.org.br
  • INCA. Incidência de Câncer no Brasil - Estimativa 2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.inca.gov.br/estimativa/2014/sintese-de-resultados-comentarios.asp
  • Cancer.Net. Colorectal cancer: Risk Factors and Prevention. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/risk-factors-and-prevention
  • NCCN guidelines for Patients. Colon Cancer; Version 1.2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.nccn.org/patients/guidelines/colon/index.html#10
  • Cancer.Net. Colorectal cancer: overview. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/overview
  • Colorectal cancer: overview. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.net/cancer-types/colorectal-cancer/overview
  • Grupo de Tumores Gastrointestinais. Materiais para pacientes com câncer. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://gtg.org.br
  • Colorectal Cancer Prevention (PDQ®). Consultado em 16 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/prevention/colorectal/Patient/page2

Compartilhe a tulipa!

No mês de abril, dedicado à conscientização sobre a Doença de Parkinson, compartilhe a tulipa símbolo da campanha e passe adiante esta mensagem.